4.11.19

Imagens

Nós dois. Identificação e conversa fácil, mascarando outras intenções. Aura gostosa de sedução e descoberta. A provocação trocada pra ver quem cede primeiro.

Te peço pra desenhar qualquer coisa nas minhas costas. É sempre mais sedutor juntar sexo e nossos talentos. Você sorri soberbo levantando a cabeça e apertando os olhos verdes. Verdes. A cor que só 2% da população tem. E é dessa mesma cor a caneta Bic já gasta que te ofereço.

Você espalma as mãos pesadas e quentes pelas minhas costas, subindo devagar, sem tirar minha blusa, por baixo dela, sentindo a pele. E aproxima seu corpo de mim. Me deixando antecipar o quanto você também quer. Não, você não encosta. Só deixa espaço suficiente pra eu sentir sua temperatura.

E roça a barba na lateral da minha nuca, na dose certa pra eu não saber se foi proposital, perguntando se tenho alguma preferência. É, arrepiei, sim. Nem adianta implicar com esse ar de superioridade - falso - que minhas bochechas ficaram vermelhas. Foi meio timidez e meio tesão ao mesmo tempo. Queimando você.

Sua voz perfeitamente colocada, seu cinismo, seus traços, seu signo. O mesmo que o meu.

Você encosta a testa na minha nuca, como se pensasse em coisas do tipo certo e errado, e respira fundo o cheiro do meu pescoço, puro chamariz. Pra você. Estico o braço pra trás e te seguro pela raiz dos cabelos, minha mão escorregando pelos fios curtos.

Suas mãos agora estão no meu quadril, quase bunda, com a convicção de quem é dono. "Adoro essa convicção", você sussurra no meu ouvido com um meio sorriso, debochando do quanto fico entregue perto de você.

É quando sinto você me puxando, segurando, apertando, que você me pergunta se o que tô desenhando é Monet ou a xiforímpola do Chaves, com a Bic verde já falhando.

É, fico um pouco relapsa na sua aula, disfarço depois de você chamar minha atenção por não ter respondido e estar com cara de paisagem. Na tentativa de me recompor rápido, cruzo as pernas com tanta força que ainda sinto as contrações do momento de evasão.

Merda, será que todo mundo percebe que tô louca pra montar em você?

Nenhum comentário:

Postar um comentário