25.9.17

Antonomásia

Peço redenção das suas aliterações
E dos hipérbatos que ele torna estáveis
Quando na pele a sinestesia traça a rota
Em pleonasmo, completa minhas referências

Ele, mar de bagunça e contradições,
É incisivo em negar coincidências
Eu, detentora das posturas inabaláveis,
Da capciosa imersão no acaso sou devota
O destino vem sorrateiro e dá o doce
E, na arbitrária retaliação das apostas,
Tirano, permite reincidências tão parcas
Se metáfora e catacrese ele não fosse
A metonímia da cicatriz em minhas costas
Seria a única tela das suas marcas

69 sonetoS de sexo e amor rimando com dor

Nenhum comentário:

Postar um comentário