30.12.18

Estradas

Encontros e desencontros, em salas de apartamentos em todas as "zonas" dessa cidade. Suas mãos em mim da primeira vez, as minhas em você da segunda. E essas sutilezas bobas de quem domina quando se percorre o caminho. Besteira mesmo, a bússola é sua.

Os sonhos, os versos, as melodias, os sussurros, as linhas nos meus desenhos. É sempre você quem comanda a pena. Seja a que escreve, seja a do veredito.

E todas aquelas conversas, cheias de intenções porcamente escondidas, sobre Bach, escalas diatônicas e amor líquido. E nossas intenções, nem tão escondidas assim, em conversas sobre assuntos que ferem, irresponsabilidades afetivas e palavras sufocadas em aeroportos.

São muitas estradas. Estradas que nos afastaram, as mesmas que, tão maldosamente sinuosas, nos colocaram frente a frente de novo. De novo meu motivo era outro, e, no entanto, você chegou marcando o território, que, tão óbvio, sempre seria seu. Sempre foi.


Ficam essas pontilhadas entrelinhas. Elas são mapas que nos conduziram até aqui. Mapas que muitas vezes nos fizeram pegar atalhos indevidos, derrapar em curvas, nos perder nessa neblina que turva o entendimento e até dar cavalo de pau.

Mas é essa mesma estrada ainda. A gente ignora os penhascos e as tempestades. E segue. A gente pega chuva, lama e essa coisa toda, porque sabe que esse pôr do sol é único. E nada se compara à liberdade de espírito quando cantamos juntos enquanto dirigimos com pouca cautela e toda a felicidade do mundo na alma.

Seguimos nessa estrada. A gente empurra o carro quando precisa, talvez seja esse o segredo.

---

13 coisas sobre você

1. Voz
2. Olhos (ou clichês, o que dá no mesmo)
3. Frango caprese
4. Ímpeto
5. Cicatrizes
6. Lábia (e parênteses)
7. Marlboro Vermelho
8. Estradas
9. Covinhas
10. Bunda (e isso merecia ocupar todos os 13 tópicos)
11. Avenida Paulista (ou acasos, o que é exatamente a mesma coisa)
12. Cerveja
13. Suas linhas, é óbvio

Nenhum comentário:

Postar um comentário