30.4.19

Nus

Nos vimos nus, e a nudez descortinava nossas almas.

Nos vimos nus, e era nudez em olhares e toques.

Era também nudez dos nossos desejos incompreendidos, da nossa sede de vida pouco compartilhada, da nossa total ausência de amarras.

29.4.19

Reticências

Eu queria não conhecer você. Não saber os motivos de suas ausências e de seus "reaparecimentos". Não entender a diferença entre as vezes que você só precisa descarregar uma declaração aleatória sobre "vir constituir família comigo" ou aquelas em que estende conversas de assuntos variados. Ou até mesmo as entrelinhas de risadas efusivas em caixa-alta, sexo-drogas-rocknroll-memes blá-blá-blá e quaisquer assuntos tão superficiais. Tudo o que você não é...

Não, a culpa não é do posicionamento de Gêmeos no seu mapa. Mas até que, como Gêmeos, é um excelente disfarce...

Eu queria muito, muito mesmo, não sentir você mesmo quando não estamos sequer nos falando. Queria não ler você nesses lapsos. Não ler você sem precisar ter nada de você, apenas por saber, ter essa sua presença aqui comigo...

17.4.19

Saudade não deveria ser considerada stalk

É, eu sei. Não é a primeira vez que digo que não vou mais te procurar ou, pior, te escrever. Mas seu áudio bêbado de ontem à noite me fez pensar no quanto nós dois falhamos, o que alivia minha culpa em não conseguir soltar o meu lado dessa maldita corda.

Você era meu melhor personagem. Mas precisei matar você. Meus textos e músicas não têm mais a mesma graça, mas o que posso fazer? Eram os textos ou eu, e às vezes até artistas precisam ser um pouco egoístas.

Mas ontem eu falhei. E não falhei por este texto aqui. Este texto é só minha confissão pública. Falhei porque precisei ver você.