20.2.20

29

Eu esqueci você.

A prova?

Este ano, pela primeira vez em seis, eu não me lembrei do seu aniversário.

Este ano não tem passagens canceladas com frustração e revolta.
Não tem versos escritos de rompante nem noites vividas pela metade.
Não tem flores que nunca serão entregues enchendo a minha sala.
Muito menos teu chocolate preferido no armário do meu escritório.

Não tem camisa social nova, perfume, Diablo esperando no bar.
Eu nem mandei engraxar aquele sapato ridículo que te faz se sentir importante quando uso contigo.
E quando tiro, principalmente.

Hoje não tem Led Zeppelin tocando insistente nem reorganização da sessão da minha estante de romances proibidos pela igreja.
Eu não fumei teu cigarro, eu não bebi teu licor depois do almoço.

Hoje não tem arrepio só de sentir teu cheiro perto nem choque pelo corpo na resistência pra eu me apossar de você.
Hoje não tem atrito.
Não tem preparo, aflição no estômago, mãos geladas no volante.
Eu esqueci você, Elizabeth.

E é isso que comemoro hoje.

Desce aqui e atende a campainha logo. É só isso que vim te dizer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário